Português BR Deutsch English Espanhol
Noticias

Seminário do CEIVAP pauta ampliação da segurança hídrica


Foto: Raíssa Galdino
Da esquerda para direita: Monica Porto, Edson Falcão, Renata Bley e Eduardo Araújo

A fim de resgatar os aprendizados e experiências com a crise hídrica entre os anos de 2014 e 2015, e também, colocar em pauta as ações e investimentos necessários para ampliação da segurança hídrica, o Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (CEIVAP) promoveu, no dia 30 de julho, o evento “CEIVAP Debate - Segurança Hídrica e Qualidade Ambiental: da reação à prevenção”.

O Comitê convidou Monica Porto, da Universidade de São Paulo (USP), Edson Falcão, do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), e Eduardo Araújo, do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) para a condução de palestras técnicas sobre os impactos da crise nos três estados e os desdobramentos na bacia do Paraíba do Sul. Os debates, mediados pela presidente do Comitê, Renata Bley, levaram a reflexão do quão fundamental é a gestão participativa, a integração de ações e segmentos do Comitê, no que tange o acompanhamento e monitoramento hidrológico e o investimento em ações para garantir a segurança hídrica na bacia.

O Seminário também apresentou as principais linhas de atuação do CEIVAP, no âmbito da questão da segurança hídrica: as atribuições do Grupo de Trabalho Permanente de Acompanhamento da Operação Hidráulica na bacia do rio Paraíba do Sul, para atuação conjunta com o Comitê do Rio Guandu (GTAOH); o investimento do no Programa de Pagamento por Serviços Ambientais com foco em recursos hídricos (PSA-Hídrico), que impulsiona a conservação e a recuperação dos mananciais na bacia; e os impactos que o Programa de Tratamento de Águas Residuárias (PROTRATAR) do CEIVAP, que já está em sua segunda edição, trará futuramente.

O evento contou ainda com a exposição de cases dos convidados, Luis Felipe Cesar, representante da ONG Crescente Fértil, que apresentou o Projeto Rio Sesmarias - PSA Hídrico; Rubens Filho, do Instituto Trata Brasil, que falou sobre os benefícios econômicos e sociais na expansão do saneamento básico no Brasil; e Guilherme Souza, que apresentou o Projeto Piabanha, que trata da ictiofauna da bacia.

O encerramento do seminário, marcado pelos debates acerca da temática “Segurança hídrica em sua totalidade: da reação à prevenção”, mediado pelo promotor de justiça do estado do Rio de Janeiro, José Alexandre Maximino, contemplou a importância do planejamento de ações, programas e projetos para garantia da segurança hídrica na bacia do Paraíba do Sul.

Acesse aqui o conteúdo das palestras.



31-07-2019


Outras Notícias

Mais Notícias »